Capital de Risco


O Capital de Risco constitui uma forma de financiamento para as PME, através do recurso a capitais próprios, por um período temporário.

Proporcionando às empresas meios financeiros estáveis para a gestão dos seus planos de desenvolvimento, este instrumento é aplicável a projetos de arranque, expansão, modernização e inovação empresarial com dimensão estratégica.

O IAPMEI é o principal financiador público de fundos de Capital de Risco e promove a constituição destes instrumentos em parceria com a generalidade dos operadores privados a desenvolver esta atividade.

 

Destinatários


Podem beneficiar deste produto financeiro PME nacionais dos vários setores de atividade, que apresentem necessidades de capitais próprios para a implementação dos seus projetos de:

  • criação de empresas inovadoras e de base tecnológica;
  • transmissão e redimensionamento;
  • expansão, modernização, internacionalização e/ou diversificação.

 

Funcionamento

 

As participações no capital social das empresas através do Capital de Risco concretizam-se pela realização de aumentos de capital, que podem ser complementados por suprimentos, prestações suplementares de capital ou outros instrumentos financeiros análogos por parte de um operador especializado de capital de risco, nomeadamente as Sociedades de Capital de Risco (SCR) ou Fundos de Capital de Risco (FCR).

As participações são temporárias e, na generalidade dos casos, minoritárias. O operador de Capital de Risco intervém na empresa com o objetivo de criar valor, alienando a sua participação num prazo médio de 3 a 7 anos.

As condições de entrada, de relacionamento, e de saída são predefinidas em Acordo Parassocial, celebrado entre os promotores e investidores de Capital de Risco.

 

Vantagens para as empresas

 

Sendo o Capital de Risco um instrumento de financiamento complementar ao crédito, apresenta relativamente a este as seguintes vantagens:

  • disponibiliza capitais próprios ajustados às necessidades das empresas;
  • não exige garantias reais ou pessoais;
  • não contempla o pagamento de encargos financeiros, na vertente de reforço/constituição do seu capital próprio, prevendo, em alternativa, a partilha do risco e da valorização da empresa;
  • facilita o acesso a capitais alheios, em consequência do fortalecimento da sua estrutura de capitais próprios.


O operador de Capital de Risco intervém ainda como um elemento de valorização da gestão da empresa, de credibilização perante o mercado, e de acesso a uma vasta rede de conhecimento, podendo ser um forte elemento de criação de valor.
 

Acesso

 

O acesso a este instrumento financeiro deve ser feito diretamente junto das Sociedades de Capital de Risco, através da apresentação de um Plano de Negócios, sendo o processo de análise e seleção baseado na credibilidade dos promotores (empreendedores/equipas de gestão) e dos projetos, tendo em consideração o potencial de valorização das PME.

 

Linha de Financiamento a Fundos de Capital de Risco


Contactos úteis

IFD - Instituição Financeira de Desenvolvimento
Email: fdg@ifd.pt
 

APCRI – Associação Portuguesa de Capital de Risco
Email: geral@apcri.pt

Portugal Ventures
Email: contact@portugalventures.pt

PME Investimentos
Email: geral@pmeinvestimentos.pt
 

 



Última actualização
12-09-2017
Avalie este conteúdo

Documentos para download


Guias e manuais

Última actualização
12-09-2017
Avalie este conteúdo